segunda-feira, 10 de março de 2008

Camisa Manchada

Merda, minha camisa ficou toda manchada. Logo hoje que eu tinha reunião. Merda, merda, estragou meu dia. Mas pelo menos eu estou bem, isso é o que importa. O vagabundo tinha que tentar me assaltar logo hoje? Porra, é muito azar. E pensar que fizeram campanha pra tirar arma da gente de bem. “Ai, eu sou da paz, sou da paz!”, da paz é a puta que te pariu! Vai pedir paz pra traficante! Bando de canalhas... E se eu não estivesse armado? Ia simplesmente deixar que ele levasse meu relógio? Ah, claro, deixa a vagabundagem fazer o que quiser, hoje levam meu relógio, amanhã pulam o muro da minha casa e estupram minha filha. Tá certo, eu não tenho filha, mas e se tivesse? Ia deixar ela na mão dos marginais, minha filha hipotética? Mas a culpa disso é dos políticos, os políticos de Brasília, eles que deixam a bandidagem livre e ainda querem tirar o direito de defesa das pessoas de bem. Tentou roubar meu rolex?, agora vai roubar o rolex do capeta! Aquilo é um bando de animais, deviam matar todos, todos eles, mas não, não pode, porque vêm direitos humanos e condena, não pode... Agora, meter a mão dentro do carro de pessoas de bem pra roubar rolex, isso pode, né?, isso pode! E ai de você que se defenda! Bando de canalhas... Não sei porque o rosto daquele vagabundo não sai da minha cabeça... Será que foi ele que me assaltou daquela outra vez? Não, aquele era preto, esse era branco... Estranho esse ser branco... Não sei, parecia que a cara dele não me era estranha. Barbudo, não conheço ninguém barbudo. Talvez tirando a barba... Meu deus, o Wilson! Era ele mesmo, o Wilson, nem reconheci... Também, já fazia uns três anos que eu não via ele... Emagreceu, deixou a barba crescer, não reconheci. Mas por que o Wilson enfiou o braço no meu carro daquele jeito? Será que ele queria me cumprimentar? Ah, é, devia ser isso, fazia tempo que a gente não se falava... Meu Deus, o Wilson morreu... Mas essa violência tá de mais mesmo, né?, a gente sai de casa e não sabe se volta! Você vê, o Wilson, homem de bem, casado, dois filhos, gente boa... Morto pela violência! E ainda querem tirar a arma do cidadão de bem! Isso é culpa dos políticos, os políticos de Brasília que defendem marginal, a culpa é deles! Coitado do Wilson... Bem, fazer o quê, né? Agora é ligar pra viúva e perguntar quando enterram o presunto.

2 comentários:

Leticia disse...

Nuss, ótimoa texto. Adorei. Cheguei aqui através do Brogui e li todos os posts. Parabens.

El hombre maíz disse...

Depois de quase um ano acessando aqui posso dizer que vc ta cada dia melhor. Cheguei atraves do Claudio Tavares, do Clavatown.