segunda-feira, 30 de julho de 2007

Da Série Profissões Alternativas: O Matador de Ilusões

- Foi a senhora que me chamou?

- Sim, doutor Amâncio, eu mesma. Mas o problema não é comigo, é com a minha filha.

- E qual é o problema dela?

- Bem, doutor, o problema é que ela quer muito ser modelo.É o sonho da vida dela, não pensa em outra coisa.

- Já entendi: ela quer ser modelo, mas é horrível e nunca vai conseguir.

- Horrível?! Quem disse isso? Saiba que minha filha é lindíssima! Lindíssima, ouviu bem!?

- Tudo bem, tudo bem... Mas, se ela é linda, por que a senhora quer que eu acabe com o sonho dela de ser modelo?

- Ah, doutor Amâncio, por que ela já está tentando há doze anos, e até agora nada! Nenhum trabalhinho! E ela não faz mais nada da vida, tão forte é a ilusão de que vai ser uma modelo famosa. E isso significa despesas pra mim. Ela não trabalha, não estuda, nunca ganhou um tostão, e gasta uma fortuna com roupas e maquiagem. E só esse mês que acabei de pagar o book que ela fez ano passado. Mil e oitocentas pratas, doutor, mil e oitocentas pratas!

- Caro, não? Bem, vou falar com ela, onde ela está?

- Segunda porta à direita, o nome dela é Amanda. Boa sorte, doutor.

- Obrigado.

Toc,toc.

- Pode entrar.

- Obrigado. Ah, desculpa, acho que entrei no quarto errado. Onde fica o quarto da Amanda?

- Aqui mesmo.

- Ah, é? E onde está ela, no banheiro?

- Não, sou eu mesma.

- Você? Você porra nenhuma, sua mãe disse que a Amanda é lindíssima, acha que me engana?

- Pois é... Sou eu mesma...

- É você?! A que quer ser modelo?!

- Sim...

- Hahaha, puta que o pariu! Essa foi boa, a gente se diverte muito nesse emprego... E você acha que vai ser modelo com uma cara dessa, mocoronga? De onde você tirou uma idéia dessas?

- Ora, isso é só sua opinião, não tem nada de errado com o meu rosto...

- Nada de errado? Não tem é nada de certo! Parece até que bebeu porra e não gostou!

- Mas e daí?! Saiba que o mercado da moda gosta de modelos exóticas, que não necessariamente tem uma beleza clássica, e eu sei que têm muitos trabalhos por aí que eu poderia estar fazendo.

- Como o quê? Modelo do Teleton? Não, nem isso, porque ao invés das pessoas sentirem pena, sentiriam nojo! Não doariam porra nenhuma!

- O quê?! Mas que filho da puta... Quem o senhor pensa que é pra me dizer isso?!

- Eu sou o doutor Amâncio, o matador de ilusões, e estou aqui para te ajudar. Você está presa em um sonho que nunca vai se realizar.

- Mas por que não? Eu sou bonita, magra, carismática, tenho tudo!

- Não, Amanda, não. Você é horrível, gorda, antipática, e nem uma anorexia nível cinco te ajudaria. Você é patética, e deveria parar de tentar ser o que não pode ser.

- Mas, mas... Ninguém nunca me disse isso antes....

- Por pena, Amanda, por pena. Mas eu não tenho pena, e foi por isso que sua mãe me chamou aqui, para que eu diga a verdade que ela não tem coragem de aceitar. Estou aqui pra te dizer que você nunca vai ser modelo, e deve desistir o quanto antes desse sonho.

- Mas eu sou uma pessoa especial, eu sei que sou!

- Foi sua mãe quem te disse isso, não foi?

- Foi...

- Claro, sempre as mães... Quando elas vão perceber que seus filhos são tão especiais quanto um cu de macaco? Olha, Amanda, você não é especial. Você não vai ser a próxima Gisele Bundchen. Deus não traçou um destino bonito para você. Você não é bonita. Você é uma idiota, como a maioria das pessoas desse mundo. Portanto, desista dos seus sonhos que nunca vão se realizar e comece a viver, entendeu? A viver!

- Mas eu nunca pensei em ser outra coisa a não ser modelo, o que eu vou fazer da minha vida agora?!

- Sei lá, arruma um emprego e para de dar despesas pra sua mãe! Você é formada?

- Não, larguei a escola na segunda séria pra investir na minha carreira de modelo...

- Tssss, fica cada vez pior... Bem, o que eu posso dizer? Vai tentar ser faxineira, caixa de mercado, puta... Não, puta não, você como puta morreria de fome.

- Ai, meu Deus, eu nunca pensei que fosse tão feia!

- Mas é. Então estamos acertados, seu sonho de ser modelo está morto, não está?

- Claro que está, filho da puta! Claro que está!

- Maravilha. Bem, meu trabalho aqui está feito. Até mais, mulher elefante!

- Ae, mes Deuch!(Chorando sem conseguir pronunciar as palavras)

- E então, doutor Amâncio, como foi?

- Ela está totalmente curada, senhora.

- Ai, graças a Deus! Quer dizer que ela já desistiu de ser modelo?

- É possível que desista até de se olhar no espelho.

- Ai, que bom... Mas ela está chorando muito, não?

- Está, e deve continuar assim pelos próximos dois dias. Mas não se preocupe, isso é normal quando as pessoas têm suas ilusões assassinadas. E caso ela tenha uma recaída, use isso.

- A bíblia? E que parte eu devo ler pra ela?

- Nenhuma, é só dar com o livro na cabeça da monstra pra ela parar de ser otária.

E, curada de suas ilusões, Amanda ficou livre para fazer uma belíssima carreira como caixa de hipermercado. Hoje vive muito feliz com seu marido alcoólatra e desempregado e seus sete filhos clinicamente imbecis em um apartamento de dois quartos no Andaraí. Tudo graças ao doutor Amâncio, o matador de ilusões, de quem recebe um cartão de natal todo ano, lembrando-a: “Você é tão especial quanto um cu de macaco!”.

Um comentário:

Anônimo disse...

Cu de macaco?
uhaHAuUHAAuhuha