sábado, 5 de maio de 2007

De Cima é Mais Gostoso

- Então, que tal minha cobertura, Cardoso?

- Lindíssima, lindíssima, Albuquerque! E que vista, meu Deus, que vista!

- Sim, é uma benção. Só tem uma coisa que me incomoda...

- Ah, desculpe, quer que eu vista as calças?

- Não, não é isso, você sabe que isso nunca incomodou ninguém.

- Então o que é, Albuquerque?

- É essa pobreza, sabe? Às vezes me incomoda ser tão rico em um país tão pobre, sabe?

- Ah, sim, isso é mesmo terrível...

- Veja, veja essa paisagem! Tenho uma praia linda à minha frente, gente bonita à minha volta, mas se eu olho para o lado tem essa favela horrível estragando a vista! Diga, Cardoso, o que adianta pagar dez milhões por uma cobertura e ser vizinho de favelados?

- Sim, é uma tragédia...

- Por isso resolvi começar a fazer minha parte, e como sei que você é um grande intelectual, quero que você me ajude. Acho que votar no PSDB de quatro em quatro anos já não é mais suficiente. Chegou a hora de botar a mão na massa, Cardoso!

- Bem, isso é ótimo, mas o que você pretende fazer?

- Doar cinco milhões pelo fim dessa favela! E a reforma da casa em Miami que espere mais uns três meses.

- Ah, Albuquerque, eu sempre soube que você tinha um coração de ouro e... Peraí, pelo fim da favela?

- Sim, pelo fim da favela!

- Como assim, pelo fim da favela?

- É, eu quero que essa porra suma da minha vista, não agüento mais olhar pro lado e dar de cara com essa miséria toda.

- Sim, entendo... Mas o que você pretende fazer para que ela acabe?

- Porra, você não tava me ouvindo? Vou doar cinco milhões, merda!

- Pra quem?

- Pra que acabem com essa favela, caralho! Meu Deus, que dificuldade...

- Mas, Albuquerque, quem vai receber esse dinheiro?

- Ah, sei lá, pra quem a gente dá dinheiro pra ajudar os pobres? Pro Teleton, né? Bom, que seja, o importante é que essa merda suma!

- Mas Albuquerque, não é tão simples assim, para onde iriam as milhares de famílias que moram lá?

- Ah, não sei, pra algum lugar mais longe, mas não de frente pra praia! Porra, eu pago dez milhões por uma cobertura, e tenho que ser vizinho desses que não pagaram nada?! Será que ninguém percebe como isso é injusto?!

- Mas Albuquerque...

- Não, chega de mas, chega de mas! Cansei de viver nessa injustiça toda, merda! Alguém tem que fazer alguma coisa, porra! Tô na maior boa vontade e altruísmo, querendo tirar cinco milhões do meu próprio bolso pra acabar com esse problema, e só o que você faz é botar obstáculo?! Eu quero fazer do meu país um lugar melhor! Afinal, você vai ajudar ou não, caralho?

- Está bem, escuta... Vamos fazer o seguinte... Me dá quinhentas pratas e eu mando construir um muro que tape a vista da favela.

- Fechado. Champagne?

- Não, obrigado, prefiro minha cocaína pura.

3 comentários:

Anônimo disse...

É por isso que eu faço minha parte.

Champagne?

Anônimo disse...

Tinha que ser assim:

" - Fechado, Champagne?

- Não, obrigado, prefiro um boquete"

y0!

Mayara ¬¬" disse...

Albuquerque pra mim é nome de tônico capilar para pentelhos.
¬¬"