domingo, 22 de outubro de 2006

Querido, vou ao mercado

- Querido, estou saindo, vou ao mercado, quer que eu compre alguma coisa?

- O q, o que disse...?

- Vou ao mercado, tô precisando comprar uns ovos, minha mãe vem aí e...

- Vo-você está me deixando? É isso que estou ouvindo, Mariana?

- O quê?

- Mas por quê, meu Deus, por quê?

- Você tá louco? Tá com encosto? Eu vou ao mercado!Mer-ca-do!

- Ah, claro, vá, vá, vagabunda ingrata, mas diga uma coisa: o que serão das crianças?Hein?

- Que crianças, porra, que crianças?

- Tudo bem, pode ir, eu fico com elas, elas sempre gostaram mais de mim.

- Qual é o seu problema, Cláudio? Andou cheirando a lata de tiner de novo?

- Claro que vou deixar você ir, afinal, estamos numa república, mas não sem me dizer uma coisa antes: onde foi que eu errei Mariana, onde foi que eu errei?

- Em lugar nenhum, merda! Puta que o pariu, Cláudio, falta meia hora pro mercado fechar e eu preciso comprar dois ovos, entendeu? Minha mãe...

- É o meu nariz, não é? Ele é muito grande, não é? Você fica com vontade de vomitar quando olha pra ele, não é? Pois saiba que eu não tenho culpa de ter nascido assim, Mariana, eu não tenho culpa!

- Querido, me ouve um minutinho, tá? Foda-se o seu nariz, eu não me importo com o seu nariz, eu só quero ir ao mercado comprar duas merdas de ovos!

- Já sei, são meus furúnculos... Meus furúnculos nojentos...Pensa que não percebo como você se enoja por causa dos meus furúnculos? Aqueles furúnculos nojentos cheios de pus se esfregando contra sua pele...

- Querido...Meu amor... Pelo amor do caralho... Eu não estou te deixando... Eu não tenho nojo dos seus furúnculos... Acho até um bom passatempo ficar espremendo eles nas tardes de domingo... Eu só quero dar uma passadinha no mercado para comprar uns ovos, tá bom, mozinho?

- Eu sabia, eu sabia, só podia ser isso...Estou muito gordo pra você, não é isso? Pois saiba que eu estou me matando tentando emagrecer pra você! Se eu passei oito horas por dia dos últimos cinco anos trancado dentro de uma academia foi pra ficar mais bonito pra você, Mariana!

- Mas eu só preciso de dois ovos, porra, eu só preciso de dois ovos!!!

- Pois você não vai sair desta casa enquanto não disser a verdade!

- Eu já disse, eu só quero...

- A verdade!!!

- Mas eu...

- A VERDADE!!!

- Tá bom, porra, tá bom, é o seu pau!!!

- Meu pau?

- É, teu pau, teu caralho, tua trolha!!!

- O que tem meu pau?

- Não tem, esse que é o problema! Parece que colocaram uma pinta onde seu pau deveria estar! Você tem um pau de merda, um pau minúsculo, ridículo, parece que toda noite eu sou comida por um bebê de sete meses, porra, DE SETE MESES!!!

- Mas eu achei que...

- Eu não agüento mais! Toda vez que você tira a calça eu me sinto uma pediatra examinando um neném com fimose! Eu não sei se sinto pena ou ódio de você, não sei se me mato, se te mato, ou se te mato e me suicido depois! Eu tô ficando louca!!! LOUCAAAAAAAAA!!! AAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHH!!!

- Então é meu pau, é?

- É, seu pau...

- Ah, é?

- É...

- Ah, tá...

- Bom, vou ao mercado, quer que eu compre alguma coisa?

- Açúcar. Há dois dias que eu tô tomando café com adoçante. Odeio café com adoçante.

2 comentários:

Tácio disse...

Daqui a pouco esse texto faz uma semana e eu ainda tô rindo dessa merda...

Obina disse...

huahuhahuhahuha,muito foda teus textos